Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Voz do Pároco Liturgia Expediente Fale Conosco
 
 
Home | Pastoral da Liturgia

PEQUENO DICIONÁRIO

*Adoração: ato cultual de reverência pelo qual se reconhece a Deus como ser supremo. Aos santos se venera, não se adora. Ao dizer que adoramos a cruz de Cristo (Liturgia da Sexta-feira da Paixão), não queremos expressar uma adoração em sentido absoluto, mas em sentido relativo, quer dizer, esta adoração se dirige a Cristo, Deus-homem crucificado, não à cruz.
 
*Advento: tempo litúrgico compreendendo quatro semanas que precedem o 25 de dezembro. Durante este tempo que se olha a Jesus Cristo que vem, em vários sentidos: a) Na vinda histórica, acontecida há dois milênios: revive-se a esperança do povo de Israel. B) Em sua vinda escatológica, a que acontecerá no fim dos empos: e nossa atual esperança. Cor litúrgica deste tempo: Roxo.
 
*Altar: ara ou pedra destinada aos sacrifícios. Para os cristãos é, além disso, mesa para o banquete comunitário. O altar fica no presbitério e deve ser o centro, não necessariamente geométrico, mas da atenção. Aconselha-se que seja de pedra, sobretudo quando vai ser dedicado ou consagrado; nos demais casos podem ser de outro material digno. O altar representa o Cristo. É por esta razão que lhe é prestada honra (beijo, incenso, reverência...) e que não se pode colocar sobre ele um objeto qualquer; o ideal é que se coloquem sobre ele somente o livro de altar (Missal) e os elementos do sacrifício.
 
*Ambão: Lugar elevado, ou a menos destacado, do qual se proclamam as leituras, o salmo responsorial, o anúncio da Páscoa. (Do gr. Anabáinein = subir).
 
*Anamnese: É a parte da Oração Eucarística que segue à narração da instituição e consagração. A Igreja cumpre o mandato recebido de Cristo por intermédio dos apóstolos, e celebra o memorial de Cristo, recordando, sobretudo a sua santa paixão, gloriosa ressurreição e ascensão ao céu (IGMR 55). Do gr. Anámnesis = recordação.
 
*Animação: Ato ou efeito de animar.
 
*Animar: Dar alma ou vida. Dar animação, vivacidade. Em liturgia o termo recebe um significado espiritual, já que é o Espírito de Deus que dá vida, que faz brotar o vivente. Difere-se de agitação e barulho.
 
*Ano Litúrgico: Ordenação feita pela Igreja do tempo ao longo do ano para celebrar os mistérios do Senhor, a celebração do mistério pascal. Começa com o primeiro domingo do Advento.
 
*Assembléia: Na Bíblia e na liturgia, é o povo de Deus reunido. Não existe propriamente assembléia senão quando o conjunto de pessoas reunidas está animado por um espírito de fraternidade. Esta comunhão é a razão pela qual a assembléia e o espírito de assembléia são tão medulares e tão imprescindíveis nos membros do povo de Deus e particularmente no culto.
 
*Átrio: Espaço descoberto, freqüentemente cercado de pórtico, que está à frente de certos edifícios. Alguns templos o possuem.
 
*Basílica: Templo cristão de significação destacada. Seu nome vem de basileus = rei. Em Roma foram empregadas, por sua amplitude, como lugar para o funcionamento dos tribunais. Em Roma estão as quatro grandes basílicas: São João de Latrão, Santa Maria Maior, São Paulo Extramuros e São Pedro do Vaticano.
 
*Batismo: Primeiro sacramento da iniciação cristã, constituída pelo batismo, confirmação e eucaristia. O batismo é o sacramento que nos incorpora à Igreja, nos comunica a vida de filhos de Deus (graça) e nos limpa do pecado original e atual.
 
*Batistério: Lugar destinado à celebração do batismo. Às vezes é um edifício dedicado ex professo a isso; outra é uma parte de um templo ou igreja.
*Beatificação: Rito com o qual um servo de Deus é levado aos altares, isto é, proposto como modelo de vida cristã e permite-lhe tributar-lhe culto. É um passo do processo de canonização.
 
*Bênção/Bendizer: Em sentido ascendente (usa-se bendizer-louvor), oração em que se louva ou glorifica a Deus ou aos santos. Em sentido descendente  =bênção), favor ou proteção concedidos por Deus ou pelos santos. Também, oração com que a Igreja implora a proteção de Deus sobre as pessoas.
 
*Binação: O fato de um presbítero celebrar duas missas num mesmo dia. (TRINAR= 3 MISSAS)
 
*Breviário: Nome que se dava ao livro ou livros que continham o ofício divino ou oração oficial da Igreja para a santificação do dia. Após o Concílio Vaticano II este nome entrou em desuso, sendo substituído por Liturgia das Horas ou ainda Ofício Divino.
 
*Cabido: É um colégio de sacerdotes ao qual compete celebrar as ações litúrgicas mais solenes na igreja catedral ou na colegiada, além de outras funções que o direito ou bispo lhe confiam (cf. CDC 503).
 
*Cantilar: (Cantilar, cantilena, cantarolar). Fazer leitura declamatória em forma de recitativo-melódica,com simples inflexão de voz para indicar a pontuação existente no texto.
 
*Canto gregoriano: cf. Cantochão. Modo de cantar oficial da Igreja.
 
*Cantochão: Canto litúrgico gregoriano, próprio da liturgia latina. Surge na Igreja na época de Gregório Magno até Gregório VII. Monódico (cantado a uma só voz) e de forma modal, isto é, ignorando o dualismo maior/menor do sistema tonal.
 
*Cantor: A partir do séc. XV foram criadas escolas para a formação literária e musical de pequenos cantores (crianças e adolescentes) com o fim de prepará-los para os ofícios cristãos e demais atividades seculares. Do séc. XV ao séc. XVIII quase todos os grandes músicos saíram dessas escolas. O chantre, kantor na Alemanha, por exemplo, era o diretor do coro. Na organização de um coro, hoje, além das diversas vozes, também tem seu lugar o cantor solista.
 
*Celebração da Palavra: Este nome se dá hoje ao que há alguns anos era chamado de paraliturgia. Trata-se de celebrações da palavra de Deus. Sua parte nuclear é constituída por uma ou várias leituras bíblicas. Estas celebrações são recomendadas pelo Vaticano II particularmente para os lugares onde não há sacerdotes.
 
*Celebração: Rito com o qual se expressa em ato comunitário, e de alguma maneira solene, o sentido alegre da existência, experimentado em uma realidade que encarna uma dimensão transcendental ou ao menos importante da vida. A celebração está relacionada com o sentido da festa. Seu âmbito principal  é o religioso, uma vez que é nele onde as realidades afetam o transcendente do ser humano e a projeção definitiva da vida.
 
*Celebrante: Aquele que celebra. Nas celebrações litúrgicas todos são celebrantes. O sacerdote é o presidente da celebração.
 
*Concelebração: Celebração com a participação de dois ou mais presbíteros.
 
*Concelebrantes: Cada um dos ministros que conjuntamente presidem uma celebração.
 
*Confissão de fé: Proclamação pública da própria fé.
 
*Cores litúrgicas: São as empregadas nos ornamentos dos ministros nas celebrações litúrgicas. Variam conforme o tempo litúrgico.
 
*Cromatismo: Divisão da oitava em 12 partes iguais, mediante a decomposição de cada tom de escala diatônica em dois semitons, obtendo assim uma escala cromática.
 
*Culto: Ato ou atitude com os quais se expressam a admiração e a aceitação (amor) que desperta em nós um ser superior. É aplicado normalmente à atitude diante de Deus e diante do particularmente relacionado com ele, como o caso dos santos. O culto a Deus é denominado latria ou adoração. O culto ao santos é denominado de dulia ou veneração. No caso da Virgem Maria o culto chama-se hiperdulia (maior veneração).
 
*Dedicação: Cerimônia litúrgica pela qual um lugar é reservado de forma exclusiva ao culto. Consagração.
 
*Diretório Litúrgico: Livro publicado pela Igreja contendo instruções e normas litúrgicas que devem ser aplicadas durante o ano.
 
*Diretório para missas com crianças: Documento pontifício publicado pela Congregação para o Culto Divino a 1º de novembro de 1973. É talvez o documento mais aberto da reforma litúrgica pós Vaticano II. Cheio de sugestões e modelos para a celebração na qual participam crianças.
 
*Documentos do Magistério: São os escritos nos quais se encontram os ensinamentos dos papas e dos bispos.
 
*Domingo: Significa do Senhor (latim Dominus). o domingo é o fundamento e o núcleo de todo o ano litúrgico (SC 106).
 
*Doxologia: (do grego Doxa=Glória + logos=palavra) Na liturgia, é a fórmula que exprime a glória tributada à Santíssima Trindade. Existe a Grade Doxologia: Glória a Deus nas alturas..., E uma pequena doxologia: Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo..., Com a qual se conclui, por exemplo, os salmos e cânticos do Ofício. A Oração Eucarística termina com a doxologia: Por Cristo, com Cristo, em Cristo...
 
*Embolismo: Acréscimo ou prolongação de uma oração. Por exemplo: a oração que segue na Missa ao Pai-nosso, tomando pé da última frase deste.
 
*Epifania: Manifestação. Celebração da manifestação de Deus em carne humana.
*Escrutínios: Em liturgia são as análises das disposições dos candidatos à incorporação à Igreja pelos sacramentos da iniciação cristã ou à recepção de outros sacramentos, como o da ordem.
 
*Estação: Nos livros litúrgicos esta palavra designa a Igreja de Roma para celebração presidida pelo Papa. Exemplo: dia de Natal, a estação determinada é a basílica de Santa Maria Maior.
 
*Evangeliário: Livro litúrgico que contém as perícopes evangélicas selecionadas para as leituras da liturgia.
 
*Exéquias: Celebração litúrgica de um funeral.
 
*Exórdio: Início, começo.
 
*Festa de guarda: Dias festivos que a Igreja manada celebrar com a participação na missa e a abstenção daqueles trabalhos e atividades que impeçam dar culto a Deus, gozar da alegria própria do dia do Senhor ou desfrutar do devido descanso da mente e do corpo.
 
*Festa: Celebração alegre, ritualizada, comunitária e exuberante de uma realidade, acontecimento no qual se percebe o sentido positivo da existência recebida como dom. O conceito de festa é inseparável do de celebração. A festa interrompe a própria vida ordinária para celebrar a própria vida, seu destino positivo, a alegria de existir com uma meta feliz.
 
*Função: Cargo, serviço ou ofício. Múnus.
 
*Gênero musical: Estilo de música, modo de se cantar ou tocar.
 
*Glorificação: ato de prestar homenagem, honrar. Um dos objetivos da liturgia é a glorificação a Deus, ou seja, prestar-lhe culto de honra e louvor, enaltecendo-o, apesar do fato que Deus não precisa ser enaltecido, nós é que temos, por gratidão eterna, o dever de prestar-lhe glória.
 
*Gradual: (Graduale Romanum Graduale sacrosanctae romanae ecclesiae de tempore & de sanctis, Solesmes) O Gradual Romano é um livro litúrgico onde se encontram os salmos graduais, ou seja, que devem ser proclamados pelo salmista nos degraus gradus do ambão.
 
*Hebdomadário: gr. Hebdómada=semana. A pessoa que na oração coral ou comunitária da Liturgia das Horas preside ou dirige a oração. É chamado assim por causa do costume de alterar nesse ministério cada semana, a partir das primeiras vésperas de domingo.
 
*Hino: gr. Hymnos=hino, canto. Composição poético-musical, geralmente de louvor. Na Bíblia abundam hinos; muitos salmos têm este caráter.
 
*Homilia: É a parte da celebração litúrgica que proclama as maravilhas de Deus partindo dos textos sagrados (leituras e outras partes), e os relaciona com o mistério que se celebra e com a vida concreta da comunidade. Tem, pois, em conta, os aspectos bíblico, mistérico e antropológico.
 
*Homiliário: Livro que contém homilias
 
*Hóstia: Vítima que se oferece em sacrifício. Em princípio, como se usava entre os hebreus, um animal, ou seja, um ser vivo. Hoje designa o pão que se usa na missa e que, uma vez consagrado, é oferecido em sacrifício.
 
*Ícone: gr. Imagem. Usa-se particularmente para designar as típicas imagens orientais, pintadas geralmente sobre madeira.
 
*Igreja: Comunidade religiosa fundada por Cristo, que, animada pelo Espírito Santo, continua sua obra no mundo. A palavra significa convocação, reunião, assembléia. Desse significados concretos passou a designar a comunidade dos seguidores de Jesus. Também significa o templo onde a comunidade se reúne
para as celebrações.
 
*IHS: Monograma de Jesus Hominum Salvator = Jesus Salvador dos Homens.
 
*Intinção : A distribuição da comunhão eucarística que é realizada molhando o pão consagrado no cálice para tomar assim ambos os elementos ao mesmo tempo (pão e vinho).
 
*Kairós: gr. Tempo oportuna oportunidade. No Novo Testamento o kairós é o tempo salvífico, não calculável pelo homem, submetido à disposição de Deus, dado aos homens como graça, que, prometido pelos profetas, cumpriu-se com a vinda de Jesus.
 
*Kyrie: gr. Senhor. Título usado pelos Cristãos para a pessoa de Jesus Cristo. Este termo só entrou em uso  após a ressurreição de Cristo.
 
*Ladainha: Oração formada por uma série de invocações curtas e respostas repetidas. É uma das formas mais antigas da participação da assembléia durante o transcorrer da celebração eucarística.
 
*Lecionário: Livro litúrgico contendo, por extenso, as leituras bíblicas para a celebração litúrgica.
 
*Lectio divina: Expressão latina que significa Leitura divina. Originalmente era a leitura da Bíblia feita, sobretudo entre os monges, não com intenção científica, mas espiritual. Hoje o termo é aplicado com maior amplitude, de modo que entram nela também leituras espirituais que não são da Bíblia.
 
*Liturgia das Horas: Celebração litúrgica disposta pela Igreja para santificar o correr do tempo por meio do louvor e da súplica. Para isso está dividida em horas, que correspondem aos diferentes momentos do dia e da noite. Laudes (oração da manhã), Tércia, Sexta e Noa (horas menores correspondendo à oração das
nove, doze e quinze horas).
 
*Liturgia: Conjunto de sinais sensíveis e eficazes de santificação e de culto da Igreja (C. Vagaggini). É também definida como culto santificante da Igreja. É a oração oficial da Igreja, isto é, o conjunto de celebrações estabelecidas por ela para oculto comunitário. Seu centro e ápice é a celebração da eucaristia.
Liturgia são os sacramentos, a liturgia das horas, as bênçãos... É ação sagrada por excelência (SC 7), o cume para qual tende a ação da Igreja e, ao mesmo tempo, é a fonte donde emana a sua força.
 
*Livros litúrgicos: Livros onde se encontram o material e as indicações para o desenvolvimento das celebrações litúrgicas.
 
*Magistério: Ensinar é a primeira tarefa dos seguidores de Jesus, o qual mandou os apóstolos: Ide e ensinai... (Mc 16,15). De fato, todo cristão tem a tarefa de anunciar a boa nova. Mas, dado que o ensinamento particular está exposto a subjetivismos deformadores da verdade, são os sucessores dos
apóstolos o papa e os bispos que detêm essencialmente o magistério. É a esse ensinamento autorizado que normalmente se dá o nome de Magistério. O Magistério não é uma fonte de revelação acrescentada à Escritura ou à Tradição, mais interpretativa de seu sentido autêntico. Há distinção entre Magistério
ordinário, que é exercido na vida normal da Igreja, e Magistério extraordinário, que é o exercido em circunstâncias particularmente especiais, como num concílio ou em uma definição dogmática.
 
*Memória: Celebração litúrgica de grau inferior ao da solenidade, festa e domingo.
 
*Memorial: A celebração litúrgica da Igreja enquanto é muito mais que uma recordação ou memória. É a reatualização do mistério celebrado, possível porque Cristo, tendo consumado o mistério pascal, vive muito além das leis do tempo e do espaço próprios desse mundo. Aplica-se de modo particular à celebração
eucarística.
 
*Ministério: Do latim minister = servo. Equivalente ao termo grego diaconia. Função confiada a alguns membros na Igreja para atender às diversas necessidades pastorais.
 
*Ministros: Pessoas que receberam um ministério.
 
*Missal: Livro litúrgico que contém as orações e as indicações para a celebração da Eucaristia.
 
*Mistério pascal: É o mistério da salvação em todos os seus aspectos. É um dinamismo, uma passagem a um estado superior. O que a Igreja celebra em toda sua Liturgia é sempre o mistério pascal. No começo era mais visível esta centralidade; depois, pedagogicamente, se foi prestando atenção a diversos momentos de seu desenrolar na vida de Cristo, mas o essencialmente celebrado é sempre o mistério pascal. O cardeal Montini (depois Paulo VI) escreveu: Entender a Páscoa é entender o cristianismo; ignorar a Páscoa é ignorar o cristianismo.
 
*Mistério: Em liturgia significa a realidade sobrenatural presente na celebração.
 
*Monição: Do latim moneo = advertir, fazer saber. Breve intervenção no início ou durante o desenvolvimento de uma celebração litúrgica, que tem como finalidade mover a participação de todos a um mesmo sentido, de acordo com o rito do momento.
 
*Musicam Sacram: Instrução Romana, de março de 1967, que explicou mais claramente a intenção do Concílio Vaticano II, no seu primeiro documento Sacrosanctum Concilium (SC), quando afirmou que a Liturgia é cantada e não existe uma celebração litúrgica na qual a música tenha apenas a função de” enfeite “ou que sirva apenas para” animar “, mas tendo o objetivo de ser um meio Rovocador da participação ativa e frutuosa dos fiéis na celebração”.
 
*Oblação: ação de oferecer o sacrifício.
 
*Oblatas: elementos conduzidos ao altar na procissão das oferendas.
 
*Ofício Divino: cf. Breviário Liturgia das Horas.
 
*Oitava: o oitavo dia a contar de uma solenidade, é também o conjunto de oito dias.
 
*Oração Eucarística: Oração central da missa e de todas as orações da Igreja. É oração de ação de graças e de santificação. Chama-se também anáfora e em algum casso cânon.
 
*Ordinário da Missa: Parte do Missal que contém as rubricas para a celebração eucarística.
 
*Ordinário: Aquilo que está na ordem usual das coisas, ou seja, que é regular, que usamos freqüentemente. *Pio X: São Pio X foi papa entre 1903 e 1914. Sua ação foi principalmente a pastoral. Realizou reformas litúrgicas quanto à música, o breviário, o fomento da comunhão... No Motu Próprio de 1903 ele definia a música sacra como "parte integrante da Liturgia solene, participando de seu fim geral, que é a glória de Deus e a santificação dos fiéis".
 
*Pontifical: livro litúrgico que contém as celebrações nas quais intervém o bispo como ministro próprio. Este livro é um dos principais na orientação do mestre de cerimônia e das equipes de liturgia.
 
*Procissão: Do latim procedo = marchar, caminhar. Ato de ir ordenadamente em assembléia de um lugar a outro em celebração religiosa. É símbolo da Igreja que peregrina pelo mundo ou pela história para a pátria definitiva. é o fato de ler diante da assembléia o evangelho ou outro texto sagrado com certa solenidade, respeito e veneração.
 
*Propiciatório: em breve...
 
*Quaresma: Significa quarentena. São os quarenta dias anteriores à Páscoa. Começa na quarta-feira de cinzas e sua principal característica é a atmosfera de preparação para a Páscoa em tons de recolhimento, oração, jejum, esmola e penitencia. Seu espírito é de preparação para a Páscoa dando atenção especial aos catecúmenos que estão se preparando para o batismo que será realizado na Vigília Pascal.
 
*Quasímodo: Chama-se assim o Domingo que segue ao da páscoa da ressurreição. Este nome vem da antífona de entrada da missa desse domingo, que em latim inicia-se com esta palavra: Quasimodo geniti infantes = Como crianças recém-nascidas.
 
*Quarta-feira de cinzas: Primeiro dia da quaresma. Chama-se assim por causa do rito de colocar um pouco de cinza na cabeça ou na fronte dos participantes da liturgia deste dia. O sentido das cinzas está na recordação do homem da sua caducidade e convidá-lo a conversão.
 
*Responsorial: salmo que contém um curto refrão (resposta).
 
*Rito: cerimônia que se realiza segundo umas pautas e uma ordem preestabelecidas. Por seu desenvolvimento, assume uma série de sinais/símbolos que são como unidades menores dentro de um rito. Geralmente se emprega em referência a ritos religiosos. Algumas vezes significa toda a cerimônia; outras,
um conjunto dentro delas; às vezes dá-se o nome a um simples sinal. O rito é acumulador de energia: um rito já estabelecido evita o esforço de criar em cada ocasião e, dessa forma, a energia liberada é empregada na melhor vivência da celebração.
 
*Ritual: Livro litúrgico que contém as fórmulas e ritos das celebrações sacramentais. Existem rituais para cada um dos sacramentos ou celebrações litúrgicas semelhantes, como funerais, bênçãos, profissão religiosa, etc.
 
*Ritmo: Movimento ou ruído que se repete, no tempo, a intervalos regulares, com acentos fortes e fracos.
 
*Santificação: Tornar santo, sagrado. Na liturgia nós somos santificados. Deus nos consagra no seu grandioso amor e poder.
 
*Sacramentais: São sinais sagrados, mediante os quais, imitando de certo modo dos sacramentos, são significados principalmente efeitos espirituais que se alcançam por súplica da Igreja (CDC 1166. Por exemplo: tudo o que na celebração de um sacramento acompanha o essencial, as bênçãos, o uso da águia,
etc).
 
*Sacramentário: Antigo livro litúrgico do rito romano que contém as orações que correspondem ao presidente da celebração.
 
*Vernáculo: O idioma próprio de um país.
 
Enviar Notícia
 
  » Agenda  
  » Horário das Missas  
  » Avisos  
Edições passadas >>
 
 
 
 
 
 
  " "Se quiser conhecer uma pessoa não observe o que ela faz, mas o que ela ama""
Santo Agostinho
 
 

PARÓQUIA SÃO BRAZ
Rua Antônio Escorsin, 1840
São Braz
Curitiba - PR

Fone: (41) 3024-1310

 
Projeto: Cristãos on-line   Desenvolvido por: Midia Essencial